060 Gruta da Furninha

"A "gruta da Furninha" abre-se nas falésias calcárias do rebordo sul da península de Peniche, cerca de 15 m acima do nível do mar. Foi integralmente escavada por Nery Delgado por altura do Congresso de Lisboa de 1880. A análise da planta e do corte publicados pelo escavador mostra que a cavidade pode ser dividida em cinco partes distintas: o átrio exterior, onde já à data da escavação aflorava a rocha de base; o corredor de entrada, com uma altura superior a 4 m e uma largura média de cerca de 3,5 m, e onde a espessura dos sedimentos aumentava gradualmente em direcção ao interior da gruta, atingindo cerca de 1 m na ampla sala central; a sala NW, separada da anterior por um estrangulamento bastante marcado."
 

Levantamento topografico por realizar.

Biologia

Foi possivel identificar as seguintes espécies:

  •  

Bibliografia da cavidade

- As grutas, os grandes mamíferos e o homem paleolítico: Uma aproximação integrada ao território português. Estudos do Quaternário (APEQ) (1997)

- Bibliographia. O Arqueólogo Português (1906)

- Compte rendu de la neuviéme session du Congrés d'anthropologie et d'archéologie préhistoriques tenue à Lisbonne em 1880. Congrès Internacional d'Anthropologie et d'Archéologie préhistoriques (1884)

- Conhecimentos de Medicina e Cirurgia na Antiguidade. O Arqueólogo Português (1969)

- Contribution a l'etude des industries paleolithiques du Portugal et de leurs rapports avec la geologie du Quaternaire. Comunicações dos Serviços Geológicos de Portugal (1945)

- Die Megalithgraber der Iberischen Halbinsel: der Westen. Madrider Forschungen (1959)

- Estação paleolítica do Casal do Monte. O Arqueólogo Português (1910)

- Estudo radiográfico de "Calaítes" portuguesas. Revista de Guimarães (1973)

- Guia descritivo da sala de Arqueologia pré-histórica do Museu dos Serviços Geológicos de Portugal (1982)

- Indústrias paleolíticas da região de Peniche. O Arqueólogo Português (1970)

- Jazidas quaternárias com fauna de vertebrados encontradas em Portugal. Arqueologia e História (1964)

- La classification du paléolithique ancien et la chronologie du quaternaire de Portugal en 1942. Boletim da Sociedade Geológica de Portugal (1943)

- La grotte de Furninha à Peniche. Congres International d'Anthropologie et d'Archeologie Prehistoriques, 9ª, Lisboa, 1880. Compte Rendue (1884)

- Les mammifères et oiseaux quaternaires connus jusqu'ici en Portugal: mémoire suivi d'une liste générale de ceux de la Péninsule Ibérique. Comunicações dos Serviços Geológicos de Portugal (1911)

- O Neolítico antigo no Arrife da Serra d'Aire. Um case-study da neolitização da Média e Alta Estremadura. Muita gente, poucas antas?. Origens, espaços e contextos do Megalitismo. Actas do II Colóquio Internacional sobre Megalitismo (2003)

- O Paleolítico Superior da Estremadura portuguesa (1997)

- Sobre a cronologia absoluta das grutas artificiais da Estremadura portuguesa. Al-madan (1995)

- Tipos de punhal lítico da colecção dos Serviços Geológicos de Portugal. Revista de Guimarães (1957)

- Bibliographia. O Arqueólogo Português (1906)
- Compte rendu de la neuviéme session du Congrés d'anthropologie et d'archéologie préhistoriques tenue à Lisbonne em 1880. Congrès Internacional d'Anthropologie et d'Archéologie préhistoriques (1884)
- Conhecimentos de Medicina e Cirurgia na Antiguidade. O Arqueólogo Português (1969)
- Contribution a l'etude des industries paleolithiques du Portugal et de leurs rapports avec la geologie du Quaternaire. Comunicações dos Serviços Geológicos de Portugal (1945)
- Die Megalithgraber der Iberischen Halbinsel: der Westen. Madrider Forschungen (1959)
- Estação paleolítica do Casal do Monte. O Arqueólogo Português (1910)
- Estudo radiográfico de "Calaítes" portuguesas. Revista de Guimarães (1973)
- Guia descritivo da sala de Arqueologia pré-histórica do Museu dos Serviços Geológicos de Portugal (1982)
- Indústrias paleolíticas da região de Peniche. O Arqueólogo Português (1970)
- Jazidas quaternárias com fauna de vertebrados encontradas em Portugal. Arqueologia e História (1964)
- La classification du paléolithique ancien et la chronologie du quaternaire de Portugal en 1942. Boletim da Sociedade Geológica de Portugal (1943)
- La grotte de Furninha à Peniche. Congres International d'Anthropologie et d'Archeologie Prehistoriques, 9ª, Lisboa, 1880. Compte Rendue (1884)
- Les mammifères et oiseaux quaternaires connus jusqu'ici en Portugal: mémoire suivi d'une liste générale de ceux de la Péninsule Ibérique. Comunicações dos Serviços Geológicos de Portugal (1911)
- O Neolítico antigo no Arrife da Serra d'Aire. Um case-study da neolitização da Média e Alta Estremadura. Muita gente, poucas antas?. Origens, espaços e contextos do Megalitismo. Actas do II Colóquio Internacional sobre Megalitismo (2003)
- O Paleolítico Superior da Estremadura portuguesa (1997)
- Sobre a cronologia absoluta das grutas artificiais da Estremadura portuguesa. Al-madan (1995)
- Tipos de punhal lítico da colecção dos Serviços Geológicos de Portugal. Revista de Guimarães (1957)

Arqueologia

"O corredor em cotovelo que da sala central se dirige para nascente e em cuja base se abria um poço em que se escavou uma sequência sedimentar com cerca de 11 m de potência. A base deste poço deve comunicar com uma pequena galeria que se abre na base da escarpa, ao nível do mar, onde actualmente é possível observar uma brecha com indústria e fauna plistocénica.Delgado reconheceu dois grandes horizontes estratigráficos: o "entulho superior", que correspondia a uma necrópole neo-calcolítica (restos ósseos de 140 indivíduos) e em que, pela análise dos materiais, é possível discriminar uma componente do Neolítico antigo e outra do Neolítico final; as "areias quaternárias" onde, além de um biface acheulense correctamente descrito como "hache de sílex en forme d'amande du type de Saint-Acheul", recolheu indústria lítica atribuível ao Paleolítico Médio e abundante fauna.Entre os materiais do "entulho superior" há uma ponta de la Gravette e uma folha de loureiro solutrense. A generalidade dos foliáceos atribuídos por alguns autores ao Solutrense corresponde na realidade a punhais líticos do Neolítico final ou do Calcolítico."
 
in: Ficha de sitio Arqueologico (DGPC/CNS-361)

 

Espólio

Indústria lítica paleolítica e fauna plistocénica. Restos humanos, cerâmica, indústria lítica e espólio funerário diverso relacionado com a necrópole neo-calcolítica.